Lula e o “rasga a tanga”

compartilhar:
" class="btn btn-social-icon post-share-btn">
Você está calmamente seguindo com o seu dia quando, não mais que de repente, aquele conjunto de acordes vindos do nono círculo do inferno martelam seus tímpanos. E pronto. Acabou. Uma tranqueira que alguns chamam de música, mas é na verdade o sussurro do tinhoso, não sai mais da sua cabeça, e a cada cinco minutos você se flagra cantarolando: lá, lá, lá… o fio de cabelo… lá, lá, lá.
Aconteceu comigo. Conformado, sigo percorrendo a via crucis musical da minha vida certo que a situação não pode piorar. Mas que o quê, inocente! Chega o sujeito que se diz meu amigo, apesar de ser um Filho da Gota, e resolve apimentar a situação me apresentando um treco que parece trilha sonora de swing no canil e atende pelo nome de “Rasga a Tanga”.
Em tempos de “Japonês da Federal”, achei que devia ser alguma marchinha de carnaval sobre o Lula doidão chegando no apê do Guarujá e rasgando a sunguinha fio dental…
-Não,seu desculturado pop! É uma música antiga e chama Ragatanga! Não é possível que você não conh…
Não adianta, o parido pelo cão pode dizer o que for que não escuto mais nada e me encontro tomado pelo pânico de ter visualizado o Molusco possuído pelo ritmo ragatanga, só de meia social e pochete, de mãos dadas com a Dilma e dando um mergulho barrigada na piscina do triplexxx com a tanguinha de crochê em farrapos boiando na água.
E o medo que essa imagem me assombre eternamente?!
Enfim, depois de muito meditar, encontrei apenas uma maneira de expurgar essa maldição audiovisual da minha mente: no dia 13 de março irei às ruas exigir o cumprimento da constituição e apoiar a lava jato, como outras centenas de milhares de pessoas.
Agora, se você não puder ir porque estará ocupado ocupando o sofá, por exemplo, quero dizer que entendo, mas peço que faça apenas uma coisa por todos os outros brasileiros: feche os olhos e visualize o Lula peladão. Você merece.

 

 

o autor

Entre trabalhar muito e não fazer nada, encaixei mais uma atividade: escrever esses textos que tanto agradam quanto enfurecem.

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.